Marli Takeda

1

Marli Takeda
A imagem ganha som
As cores e os movimentos sugeridos pelas obras plásticas de Marli Takeda instauram uma espécie de harmonia musical em quem observa os seus trabalhos. A proposta visual que ela gera impede uma relação de indiferença e se caracteriza por um convite a uma complexidade.
O grande desafio de quem se detém sobre as suas obras é não se deixar cativar apenas pelos detalhes, mergulhando no conjunto que cada tela oferece. São dois movimentos que se articulam nos processos de composição da artista: um que estimula a ver de perto a construção proposta; outro, mais distante, em que o todo é o essencial.
As duas propostas são complementares e se articulam no sentido de permitirem a quem se debruça sobre as pinturas a imersão em novos mundos. Há alusões, por exemplo, ao universo biológico ou das profundidades abissais. Mas isso é o menos importante. A grande questão está no delicado processo do pensar que acompanha o fazer que se vê.
Existe em Marli Takeda o erguer progressivo de um procedimento mental em que as criações se articulam numa jornada em que o espontâneo se faz presente, mas é colocado em forma de resultado graças a um progressivo esmero na técnica e num fascinante jogo de cores e gestos que parecem ganhar som a cada novo olhar.
Oscar D’Ambrosio integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil). É doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie e mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp.

2
5643

Contatos:
Cidade: São Paulo
Facebook: www.facebook.com/marli.takeda.9
Site: www.marlitakeda.blogspot.com.br

Anúncios